quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

MAS VEM CÁ, TCHÊ! ATÉ QUANDO?

Eu me pergunto: até quando será que vou ouvir o povo falando sobre os problemas dessa estiagem? Sim, por que se alguém quer ver 'seca', que vá para o nordeste, isso é apenas uma estiagem. O produtor de milho chora por que perdeu a safra toda, a pecuária leiteira reclama que não tem água para o rebanho, entre outros.

Mas é o seguinte, o Rio Grande do Sul vem sendo desmatado desde a chegada dos europeus, para a produção de culturas (anuais e permanentes) e construção de moradias, basicamente. A vegetação nativa da região norte do estado - com raras exceções - foi totalmente suprimida, para essas atividades, incluindo áreas de preservação permanente diversas. Os banhados foram drenados, as vertentes encontram-se desprotegidas.

O ciclo da água é bem simples: a precipitação (chuva) deve incidir sobre a vegetação, chegar ao solo de maneira a não impactá-lo (erosão), infiltrar até chegar no lençol freático. Desconsiderando a absorção das plantas, a evaporação e a evapotranspiração, a água é armazenada no lençol/aquífero, para somente depois de um longo período de tempo, voltar novamente à superfície terrestre.

O que tem sido feito, é a remoção das matas que protegem os cursos hídricos, e além disso, protegem o solo para evitar o impacto das gotas. Sendo assim, a água toca o solo - desestruturando-o - e sem ter tempo de infiltrar, segue direto para o leito do rio, indo embora rapidamente, além de transportar uma quantidade de sedimento consigo.

Então, a melhor maneira de ter uma fonte de água inesgotável, é proteger muito bem nossas nascentes e cursos hídricos, não deixando - em hipótese alguma! - o solo descoberto. Dessa forma, teremos água por muito tempo, mesmo com estiagens que nem essa que tanto nos assombra.

De que adianta o governo disponibilizar R$ 20 mi para os produtores? Francamente, isso é uma vergonha. A produção de todo tipo de cultura, é exatamente como outro negócio qualquer, os fatores de risco sempre existirão, o que deve ser feito, é sempre munir-se do máximo de ferramentas para que não ocorram problemas. Porém o governo não ajuda a todos... E por que, mesmo?

Enfim, a melhor maneira de utilizar esses R$ 20 mi de que o governo dispõe é a aplicação em proteção de APPs, conservação de nascentes e sistemas de irrigação para as lavouras. É uma pena que isso não dê votos em ano eleitoral.

2 comentários:

Twin Cuisine Gastronomia disse...

Talvez o mais triste desta estiagem, que segundo o povo do Noroeste e Norte, é a mais forte dos últimos tempos, é ver os rios daquelas bandas baixarem assustadoramente, a produção das usinas de Ijuí caiu quase pela metade.

Quem não evolui morre - olha a KODAK tá pedindo falência no final deste mês por não ter evoluído, ter ficado no passado - porque esses pecuaristas e agricultores não investem no processo correto?
Deve ser porque no Brasil é mais fácil deixar acontecer e pedir socorro, chorar as pitangas lá em Brasilia.

Igor Terres disse...

É verdade, não é nada bonito o que está acontecendo... O povo realmente está sofrendo. Mas é aquela coisa: "o povo tem o governo que merece", como falou o grande filósofo francês Joseph De Maistre, e o nosso povo merece exatamente esse tipo de ação do governo.